Grupos e núcleos de pesquisa

Grupos:

O Programa conta com oito (8) salas (Laboratórios) onde estão acomodados os seguintes laboratórios e núcleos de pesquisa:

**1) Núcleo de Estudos e de Pesquisas em Subjetividade e Políticas (NEPESP), equipado com 4 (quatro) computadores, 2 (dois) notebooks, 1 (uma) impressora conectados à internet, 1 (um) projetor e 1(uma) tela de projeção para uso exclusivo dos discentes do PPGPSI e de graduação que participam do Núcleo de Pesquisa. O NEPESP está localizado no prédio do CEMUNI VI.

**2) LIS - O Laboratório de Imagens da Subjetividade funciona como ponto de conexão de projetos de extensão e estudos que, por meio da pesquisa-intervenção, visam construir cartografias dos modos de vida contemporâneos, fazendo uso de tecnologias de imagem e audio. Está equipado com 2 (duas) filmadoras, 2 (dois) computadores conectados à internet, estando um deles configurado para edição de imagens e produção de vídeos, 1 (um) tablet, 2 (duas) câmeras fotográficas digitais, para uso exclusivo dos discentes do Programa e de graduação que participam do Laboratório de Pesquisa. O LIS possui duas salas no prédio do CEMUNI VI.

**3) CONECTUS – O Conectus está localizado em uma ampla sala, no 2º módulo do prédio Bárbara Weinberg/CCHN, terceiro andar (sala 303). Possui duas estações de trabalho, com armários e mesa para reuniões e outras atividades do grupo de pesquisa. Possui um (1) computador e uma (1) impressora.

**4) LABIOS – O LABIOS está localizado em uma ampla sala, no 2º módulo do prédio Bárbara Weinberg/CCHN, terceiro andar (sala 304). O LABIOS está preparado para oficinas e práticas corporais. A sala possui almofadas para os trabalhos e dois armários para acervo do próprio grupo de pesquisa.

**5) LEFTT – O laboratório está localizado em uma ampla sala, no 2º módulo do prédio Bárbara Weinberg/CCHN, terceiro andar (sala 305). Possui duas estações de trabalho, com armários e mesa para reuniões e outras atividades do grupo de pesquisa. Possui um (1) computador e uma (1) impressora.

**6) Núcleo de Psicanálise – O Núcleo de Psicanálise está localizado em uma ampla sala, no 2º módulo do prédio Bárbara Weinberg/CCHN, terceiro andar (sala 305). Possui duas estações de trabalho, com armários e mesa para reuniões e outras atividades do grupo de pesquisa. Possui um (1) computador e uma (1) impressora.

**7) ODHES – equipado com 1 (um) computador, 1 (uma) impressora conectados à internet, armários para acervo do grupo de pesquisa, espaço de reunião e outras atividades para uso exclusivo dos discentes do PPGPSI e de graduação que participam do Núcleo de Pesquisa. O ODHES está localizado no prédio do CEMUNI VI (Espaço do PPGPSI).

**8) Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Práticas em Saúde Mental - equipado com 1 (um) computador, 1 (uma) impressora conectados à internet, armários para acervo do grupo de pesquisa, espaço de reunião e outras atividades para uso exclusivo dos discentes do PPGPSI e de graduação que participam do Núcleo de Pesquisa. O Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Práticas em Saúde Mental está localizado no prédio do CEMUNI VI (Espaço do PPGPSI).
Vale lembrar que todos os espaços ocupados pelos núcleos, grupos ou laboratórios são espaços climatizados.

Núcleos:

Linha 1

1) Apoio Institucional às Políticas Públicas na Grande Vitória – Extensão

No ano de 2012, o objetivo do Programa de Extensão foi a constituição de coletivos engajados na construção do mapa de territorialização em saúde no âmbito da Atenção Básica do município de Cariacica. O Programa é realizado a partir de uma parceria firmada em outubro de 2010 entre: a Secretaria de Saúde do município de Cariacica (SEMUS) – por meio da gerência de Atenção Básica; o Ministério da Saúde – por meio da Política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão (PNH) e a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), por meio do Departamento de Psicologia. A estratégia do apoio institucional praticado pela PNH, tomada como método de intervenção, se expressa por uma função de apoio que dá passagem, persegue a criação de grupalidade, de forma a fortalecer e montar redes de coletivos. Lugar-função que instiga, lugar de passagem que viabiliza processos de desestabilização do que está instituído fazendo emergir outros planos de afetos, de encontros, de constituição de redes de conversa, redes afetivas. Dessa forma, posicionamo-nos como apoiadores institucionais no processo de territorialização, entendendo tal processo como dispositivo, que não se resume a proposição de área de abrangência pelas UBS’s do município de Cariacica, mas, sobretudo, na produção de movimentos de mudança na organização da rede de saúde, nas formas de trabalhar e gerir os processos em curso. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Trabalho do psicólogo; Atenção Básica, UBS, Rede, Políticas Públicas.
Coordenação: Rafael da Silveira Gomes.
Equipe: Prof.ª Maria Elizabeth Barros, 04 alunos de Graduação e 04 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: MEC-Capes (Bolsas PET) e Fapes (Bolsa mestrado).

2) Atividade de trabalho do Psicólogo em Serviços Públicos de Saúde e Assistência Social - Pesquisa.
Este projeto de pesquisa, iniciado em 2011, objetiva analisar a atividade de trabalho dos psicólogos em serviços públicos de saúde e assistência social, em especial as Unidades de Saúde da Família (USF) e os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do Município de Vitória. Discutir a atividade de trabalho dos psicólogos nestes serviços ganha importância diante do crescimento e legitimação da sua atuação nestes serviços, que vem se constituindo como mercado de trabalho importante, sobretudo para os recém-graduados. A entrada nesses serviços tem demandado novos conhecimentos e saberes, novos modos de fazer, mais congruentes com as exigências das políticas e usuários, que em geral diferem do setting tradicional da psicologia. O presente projeto propõe a realização de uma pesquisa qualitativa, de cunho exploratório, que será realizada em duas fases. A análise será realizada a partir de todo material produzido: diários de campo e das transcrições integrais das entrevistas. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Trabalho do psicólogo; Atenção Básica, CRAS, Formação.
Coordenação: Rafael da Silveira Gomes.
Equipe: 05 alunos de Graduação e 03 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: MEC-Capes (Bolsas PET) e Fapes (Bolsa mestrado).

3) Para além do batalhão: disciplina, hierarquia e modos de ser do Policial Militar - Pesquisa.
A Segurança Pública, em sua vinculação com o Estado, desdobra suas ações por meio do aparado policial. A polícia, ao ocupar a interface de garantia de segurança/vigilância dos cidadãos, lida cotidianamente com os imprevistos da atuação e a real possibilidade da violência. No cenário urbano, segurança, violência e trabalho do policial se entrecruzam. Neste trabalho, trata-se de enfocar as experiências e leituras acerca da Polícia Militar, sob a ótica dos processos de constituição dos sujeitos, possibilitando uma problematização da organização do trabalho. Tem-se como objetivo compreender a articulação entre a atividade dos policiais militares capixabas, seus contextos de trabalho, e a produção de saúde. Visa-se abordar as estratégias utilizadas para lidar com a constante ocorrência de imprevistos e da produção de violência. Para isso, a metodologia utilizada envolverá técnicas mistas de observação participante e realização de entrevistas semi-estruturadas, cujos resultados serão apresentados e validados pelos sujeitos envolvidos, com o intuito de ressaltar a atividade real, assim como as estratégias de enfrentamento criadas pelos sujeitos e pelos coletivos de trabalho. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Trabalho; Saúde; Polícia Militar; Violência.
Coordenação: Rafael da Silveira Gomes
Equipe: 01 aluno de Graduação e 01 mestrando do PPGPSI.
Órgão financiador: MEC-Capes (Bolsa PET).

4) Construindo uma outra Psicologia do Trabalho: as contribuições da Clínica da Atividade - Pesquisa.
O projeto parte dos dados encontrados na pesquisa Trabalho Docente e Saúde Mental (fase 1 e fase 2) e trata da problemática da saúde, em suas múltiplas dimensões, do conjunto de docentes que trabalham nas escolas públicas da Grande Vitória/ES. Visa, no momento, a experimentação da metodologia da autoconfrontação cruzada, proposta pela clínica da atividade. Busca construir outras práticas no campo nomeado psicologia do trabalho. Nessa direção, coloca em análise a instituição trabalho, clínica e educação. Busca trazer contribuições para a formulação conceitual-metodológica no âmbito da Psicologia Institucional, em especial, no que diz respeito aos processos de subjetividade e clínica, avançando, assim, na produção de conhecimento na área de saúde do trabalhador numa perspectiva clínico-institucional. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Clínica da atividade; Subjetividade; Trabalho; Saúde.
Coordenação: Maria Elizabeth Barros de Barros.
Equipe: Prof.ª Heliana Barros Conde Rodrigues (UERJ/Colaboradora PPGPSI), 05 alunos de Graduação, 08 mestrandos do PPGPSI e 03 doutorandos do PPGE/UFES (egressos do PPGPSI).
Órgão financiador: CNPq (Bolsa produtividade em pesquisa), CNPq (Bolsa de iniciação científica), Fapes/Edital 012/2011 Universal (Apoio Financeiro), Capes e Facitec (Bolsas de Mestrado).

5) Desafios Contemporâneos em Saúde Mental - Pesquisa.
Em funcionamento desde 2010, este Projeto de Pesquisa se insere no contexto atual dos desafios que se impõem cotidianamente ao movimento da Luta Antimanicomial, da Reforma Psiquiátrica Brasileira, que visam a extinção gradativa dos hospitais psiquiátricos e um acolhimento do usuário em rede integrada e aberta de cuidados dentro de seu território de relações e afetos. Desse modo, vários temas transversais compõem esse Projeto, como: as práticas de atenção e a clínica em saúde mental; as internações compulsórias; as formas de adesão ao tratamento, entre outros temas afins. Temos como objetivo geral investigar as problemáticas e os desafios contemporâneos que perpassam o campo da saúde mental. A metodologia utilizada leva em conta: levantamento, estudo e análise de material bibliográfico sobre a rede integrada de serviços de saúde, políticas públicas de saúde mental, reforma psiquiátrica no Brasil e Atenção Psicossocial; tratamento dos dados e categorização dos mesmos; construção do instrumento de coleta de dados; análise qualitativa do material coletado, articulando-o com os dados quantitativos, com os estudos teóricos e com os objetivos estabelecidos nesta pesquisa. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Saúde Mental; Reforma Psiquiátrica; Práticas de Cuidado.
Coordenação: Maria Cristina Campello Lavrador.
Equipe: 03 alunos de Graduação e 06 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: Capes (Bolsas de Mestrado).

6) Coisas que se passam sobre a pele da cidade: clínica urbana e políticas de subjetivação no contemporâneo - Pesquisa e Extensão.
Iniciado em 2011, os objetivos do projeto são: cartografar os modos de vida atuais, dando enfoque ao enlace subjetivação e bio-políticas, constituindo políticas de subjetivação, e seus desdobramentos em cronopolíticas de aceleração e multiplicação de tarefas; delinear contornos e matizes que configuram processos de subjetivação que se insinuam em ruptura aos modelos de vida pautados pela aceleração; propor dispositivos na cidade que criem interferências nos modos de vida. O trabalho coloca-se sob a perspectiva de uma ethopoieses. O trabalho de campo tem favorecido a troca entre pesquisadores e extensionistas e estagiários, todos juntos e a presença de múltiplos olhares, intervenções e análises. Projeto vinculado ao LIS.
Palavras-chaves: Clínica; Subjetividade; Narrativa; Imagem; Cidade.
Coordenação: Leila Aparecida Domingues Machado.
Equipe: 11 alunos da Graduação e 06 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: Capes e Facitec (Bolsas de Mestrado).

7) Hecceidades: Programa de Pesquisa-Intervenção em Saúde Mental - Pesquisa e Extensão
O Programa teve início em 2005 e é composto por duas frentes de trabalho: pesquisa - envolvendo estudos relacionados à cartografia dos modos de subjetivação no contemporâneo; extensão - envolvendo intervenções clínico-institucionais e interferências urbanas. Objetiva-se a ampliação do campo problemático: produção de adoecimento e subjetivação por meio do aumento dos coeficientes de transversalidade, ou seja, das visibilidades que se insinuam nos entrecruzamentos sociais, políticos, econômicos, culturais, desejantes etc. Os regimes de controle contemporâneos tentam calar e capturar os movimentos instituintes, propagando uma pretensa hegemonia. O que nos impõe o desafio de criar estratégias de resistência ativa em todos os dinamismos espaço-temporais. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Saúde Mental; Processos de Subjetivação; Pesquisa-Intervenção.
Coordenação: Leila Aparecida D. Machado e Maria Cristina C. Lavrador.
Equipe: 03 alunos de Graduação e 02 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: Capes e Facitec (Bolsas de Mestrado).

8) Uma Análise da Dispensa de Metilfenidato pela Assistência Farmacêutica do Espírito Santo - Pesquisa
Este projeto de pesquisa surgiu do desmembramento do Projeto "Processos de Medicalização no Brasil e no Espírito Santo", iniciado em 2009. A partir de 2012, então, como projeto independente, propõe-se a analisar o impacto e acompanhar as ações das políticas de saúde, especificamente da Assistência Farmacêutica do Estado do Espírito Santo, voltadas para o tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Como pano de fundo teórico, destacam-se as problematizações atuais em torno da medicalização e medicamentação da vida em diferentes âmbitos. Indaga-se ainda sobre as políticas cognitivas que viabilizam as práticas de medicalização da (des)atenção. A solicitação e dispensa de metilfenidato pelo Estado do ES está sendo investigada através da análise dos processos físicos de solicitação do medicamento e do banco de dados digitalizado da farmácia Cidadã Metropolitana. Através da realização de entrevistas (individuais e coletivas) com usuários de metilfenidato e familiares, bem como profissionais da saúde envolvidos na dispensa do medicamento e sua prescrição, busca-se dar visibilidade e intervir na experiência da medicação e seu impacto na produção de subjetividade dos sujeitos envolvidos, priorizando metodologias de pesquisa-intervenção participativas. O projeto teve início em 2012 e está vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: TDAH; Metilfenidato; Medicalização; Produção de subjetividade; Políticas cognitivas.
Coordenação: Luciana Vieira Caliman
Equipe: Prof. Eduardo Passos (UFF), Prof.ª Virgínia Kastrup (UFRJ), Prof. Jorge Varanda, 05 alunos da Graduação e 07 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: Fapes/Programa Primeiros Projetos/Edital CNPq-FAPES 002/2011 (Apoio Financeiro), FAPES (Bolsa de iniciação científica) e Capes (Bolsas de Mestrado).

9) Tratamento, conservação e análise dos documentos da Inspetoria de Higiene Pública do Estado do Espírito Santo (1853-1922) - Pesquisa.
A história da saúde pública brasileira é extremamente vasta e ganha contornos específicos em cada Estado Federativo. Apesar da existência de uma forte tradição historiográfica brasileira acerca do desenvolvimento das políticas de saúde pública, são praticamente inexistentes os trabalhos acadêmicos que abordam este tema em relação ao Estado do Espírito Santo. Através de uma parceria estabelecida com o Departamento de Arquivologia da UFES e com o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES), este projeto de pesquisa tem como objetivo realizar a conservação, digitalização e análise dos documentos pertencentes ao Fundo Inspetoria de Higiene Pública, produzidos no período de 1853 à 1922 e que fazem parte do acervo do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo. Com isso pretende-se investigar como foram construídas as primeiras estratégias e ações de saúde pública pelo poder público capixaba. Trata-se de uma pesquisa documental que, num primeiro momento serão realizados o tratamento, a microfilmagem e a digitalização dos documentos. Numa segunda etapa estes documentos serão inventariados e analisados, com o objetivo de produzir um inventário temático impresso como alternativa ao instrumento de busca remoto.
Palavras-Chave: Fundo de Inspetoria de Higiene Pública, Saúde Pública, Pesquisa Documental.
Coordenação: Luciana Vieira Caliman.
Equipe: Prof.ª Alexander Jabert (UFS), Prof.ª Margarete Moraes (Arquivologia/UFES), 02 alunos da Graduação.
Órgão financiador: Fapes/Edital 012/2011 Universal (Apoio Financeiro).

Linha 2

1) Cartografia de redes de políticas no território: a participação dos usuários - Pesquisa
A pesquisa teve início em 2011 e objetiva cartografar como vem se efetuando a participação dos usuários nos equipamentos públicos e nos processos de constituição e funcionamento de redes entre políticas públicas no território de Campo Verde/Cariacica/ES. O método da pesquisa é a cartografia, utilizada no campo das ciências humanas como método analítico-processual, que visa o acompanhamento da dinâmica dos processos focalizando movimentos e mutações que os viventes efetuam ao traçarem territórios existenciais. Os procedimentos metodológicos abarcam estimativa rápida, metodologia bola de neve e vivência institucional. Projeto iniciado em 2011 e vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Redes; Políticas Públicas; Participação social; Território.
Coordenação: Ana Lucia Heckert.
Equipe: 10 alunos da Graduação, 04 mestrandos do PPGPSI e 01 doutorando do PPGE/UFES (egresso do PPGPSI).
Órgão financiador: Capes (Bolsa de Mestrado) e CNPq (Bolsa de iniciação científica).

2) Redes no Território: políticas públicas de assistência social, educação e saúde - Extensão.
O projeto visa contribuir na construção e/ou fortalecimento de redes no território na região de Campo Verde/Cariacica/ES, especialmente no que diz respeito à política de assistência e à política de educação. Objetiva contribuir na criação e/ou fortalecimento de redes entre o CRAS, a escola pública municipal, movimentos sociais e demais equipamentos sociais existentes, visando uma atuação pautada na integralidade do atendimento às demandas da população referenciada no CRAS de Campo Verde/Cariacica-ES. A metodologia de trabalho pautar-se-á nos aportes conceituais e metodológicos da Análise Institucional, que nos possibilitará compreender os processos de construção e de gestão das políticas de assistência e de educação, bem como construir estratégias de intervenção. Além destes aportes, serão utilizadas metodologias de análise de território e de redes, advindas das ciências humanas e sociais, acrescidas de ferramentas relativas ao diagnóstico, monitoramento e avaliação de políticas públicas. Projeto iniciado em 2009 e vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: Redes; Políticas públicas, Educação, Assistência Social.
Coordenação: Ana Lucia Coelho Heckert
Equipe: 10 alunos de Graduação, 01 mestrando do PPGPSI e 01 doutorando do PPGE/UFES (egresso do PPGPSI).

3) Projeto de Extensão Andarilhos: construindo outros caminhos na cidade - Extensão
O Projeto está em andamento desde novembro de 2011 e objetiva interferir nas ações das políticas públicas voltadas à população em situação de rua existente em Vitória/ES, bem como dar visibilidade às ações que tem se configurado como violação dos direitos sociais e políticos deste grupo social. Visa ainda mapear as redes tecidas com a população em situação de rua na cidade de Vitória/ES, e as demandas deste segmento social, a fim de elaborar um plano de intervenção que potencialize ações de enfrentamento à violação de direitos sociais e políticos. Para sua elaboração efetuamos andanças em 08 pontos de concentração de moradores de rua, em turnos noturnos e vespertinos nas ruas de vitória, objetivando conhecer as demandas da população em situação de rua. Fomos também à audiências públicas na câmara de vereadores, reuniões da Comissão de Moradores de Rua de Vitória (articulados ao Movimento Nacional de População de Rua), visitas à hospedagem noturna (SEMAS/PMV) no centro da cidade, às reuniões do CREAS Pop, às palestras e capacitações desenvolvidas por/para trabalhadores da assistência social sobre a temática população de rua. A equipe de consultoria do projeto inclui a Prof.ª Dr.ª Silvia Vasconcelos de Carvalho (Professora da UFF e colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional) que vem pesquisando os modos de ocupação da cidade, bem como 02 moradores em situação de rua que vem participando das ações do Movimento Nacional da População em situação de rua. Estes últimos nos fornecerão subsídios para a avaliação das ações propostas e para a análise dos dados produzidos. Atualmente o projeto apoia as ações do Movimento Nacional de População em Situação de Rua/ES. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chaves: População em situação de rua; Políticas Públicas, Cidadania.
Coordenação: Ana Lúcia Heckert
Equipe. Prof.ª Silvia V. de Carvalho (UFF/Colaboradora do PPGPSI), Prof.ª Ana Paula Louzada (PPGPSI), 08 alunos de Graduação e 01 mestrando do PPGPSI.
Órgão financiador: PRONEX (Bolsa de Extensão).

5) As práticas dos moradores do Bairro São Benedito em relação à gestão ambiental: transformar para conhecer – Pesquisa e Extensão
Este projeto, iniciado em 2011, tem como foco realizar uma parceria entre o Curso de Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo, o Projeto Social "Ecos do Bem" e a Escola Pública de Ensino Fundamental Otto Ewald Jr, com o intuito de ampliar ações de educação ambiental. Tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento local de modo sustentável no Bairro São Benedito, através da apropriação do modo de gestão da população local sobre o lixo, ampliando as ações de educação ambiental e as práticas de cuidado com o entorno da moradia. Conta com a participação de bolsistas de IC Júnior que contribuirão como agentes de transformação social, por meio da abordagem da população local (registrados através de diários de campo), registro fotográfico contínuo dos pontos de lixos para serem erradicados, para o controle social da produção e dispensa de lixo. Toda a experiência da pesquisa será catalogada e uma publicação será produzida com o sistema e as condicionantes de reaplicação da tecnologia social. Projeto vinculado ao NEPESP.
Palavras-chave: Educação Ambiental; Práticas de cuidado; Controle Social; Pesquisa-intervenção.
Coordenação: Ana Paula F. Louzada
Equipe: 03 alunos da educação básica da Rede Pública de Ensino, 02 alunos da Graduação e 01 mestrando do PPGPSI.
Órgão financiador: Fapes Edital PIC Júnior (bolsas de IC Júnior).

6) Políticas públicas para a juventude: estratégias governamentais nos campo da assistência social e de educação - Pesquisa
Na última década, no Brasil, tem-se a constituição de uma série de iniciativas governamentais em torno da infância e da juventude por meio do estabelecimento e revisão de textos jurídicos e de seus desdobramentos em equipamentos e serviços. Pode-se afirmar que, tanto na efetivação desses equipamentos quanto em suas modulações jurídicas, na ação do Estado ocorre uma torção no modo como seu objeto passa a ser descrito: deixa de ser aquele que sofre da falta de algo (carente), para ser alguém que se encontra em situação de risco social, aquele que está vulnerável. O projeto de pesquisa visa estudar a maneira como o conceito de vulnerabilidade e de risco social encontram-se vinculados aos programas governamentais, principalmente, dar visibilidade ao modo como essas políticas são implantadas no cotidiano da assistência social e da educação. Nessa etapa do projeto, foram definidas duas frentes de trabalho: na assistência social, prioriza-se aproximar-se do modo como se realiza a gestão da população, em sua interface infância/juventude, em situações de conflito com a lei (tanto em regime de liberdade assistida, quanto de abrigamento); na educação, enfoca-se o cotidiano de implementação dos programas para a educação de jovens e adultos. Desse modo, esse projeto encontra-se vinculado à Linha de Pesquisa Educação, História e Cidadania, por se tratar de uma temática fundamental tanto na análise das políticas públicas, quanto nas práticas dos trabalhadores sociais envolvidos diretamente na execução dessas políticas. O trabalho deverá ser realizado a partir dos estudos das legislações que regulamentam os serviços e do acompanhamento de serviços para a infância e juventude, de modo a cartografar os meios/modos/formas através dos quais o conceito de vulnerabilidade encontra-se em ação e os efeitos produzidos nesses contextos.
Coordenação: Ana Paula F. Louzada
Equipe: 02 mestrandos do PPGPSI.
Órgão Financiador: Capes (Bolsas de Mestrado) .

7) Entrecruzamento dos Discursos Jurídicos e Práticas de Coerção - Pesquisa
Trata-se de uma pesquisa bibliográfica iniciada em 2010, subdividida em duas vertentes: a primeira delas busca a literatura científica, publicada sob a forma de artigos, dissertações, periódicos etc., dentro de um recorte que compreende os anos de 2000 a 2010, e que exponham diversas ideias e visões a respeito do Instituto de Atendimento Sócio-educativo do Espírito Santo (IASES) e as medidas sócio-educativas nele aplicadas. A segunda investiga artigos produzidos acerca do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas (PROVITA), visando conhecer e analisar o discurso que vem sendo elaborado a respeito da temática. Projeto vinculado ao NUPECIPH.
Palavras-chaves: Pesquisa bibliográfica; Medida Sócio-educativa, Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas.
Coordenação: Lilian Rose Margotto.
Equipe: 02 alunos de Graduação e 04 mestrandos do PPGPSI.
Órgão financiador: MEC-Capes (Bolsas PET) e Fapes (Bolsa de Mestrado).

8) A rede de atenção à infância e à juventude do Município de Vitória (ES): analisando vínculos e construindo uma tecnologia social - Pesquisa
Considerando a implantação do Sistema Único de Assistência Social no Município de Vitória (ES) e a sua abordagem transversal de fortalecimento de vínculos sociais, o objetivo do projeto é problematizar discursos e práticas em torno da ideia de vínculo, assim como analisar a formação da rede de assistência no que diz respeito ao atendimento às crianças e aos adolescentes nos serviços de alta complexidade. A tentativa se faz na direção do mapeamento da metodologia ou processo de composição e trabalho investido na utilização de recursos para a resolução de problemas e a invenção de novas questões para problemas sociais recorrentes. Trata-se de pesquisa intervenção que utiliza como dispositivo de análise o Programa Família Acolhedora, que é promovido pela Secretaria Municipal de Assistência Social. Tendo em vista que se trata de projeto novo, a perspectiva é de que se desmembre em Subprojetos de Iniciação Científica a partir de 2013, incorporando em sua equipe alunos de graduação. O projeto está vinculado ao NEPESP.
Palavras chaves: Acolhimento Infantil; Políticas Públicas; Risco Social; Formação de vínculos; Tecnologia Social.
Coordenação: Gilead Marchezi Tavares.
Equipe: 01 mestrando do PPGPSI.

09) Luta por direitos e modos de fazer movimentos sociais na contemporaneidade - Pesquisa
O projeto se propõe a evidenciar a relação atual estabelecida entre a máquina de Estado e as manifestações sociais de luta pela garantia de direitos, entendendo tal relação como localizada num ponto histórico. Assim, a investigação está imersa e tem seu foco primeiro na construção de uma história acerca dos movimentos de luta por direitos no Brasil e no mundo. Dividido em duas frentes de trabalho, o projeto investiga: a história dos movimentos sociais de luta por Direitos Humanos no Estado do Espírito Santo nas três últimas décadas, utilizando-se da metodologia de História Oral (com a realização de entrevistas orientadas com personagens importantes da militância social no Estado do Espírito Santo); algumas manifestações sociais ocorridas no mundo ocidental no ano de 2011 (especificamente o Occupy Wall Street, a Primavera Árabe e as Marchas da Liberdade), utilizando-se de pesquisa documental em mídia jornalística digital. O projeto teve início em 2012 e terá duração de três anos, estando vinculado ao NEPESP.
Palavras chaves: Direitos Humanos; Movimentos Sociais; História Oral; Pesquisa Documental.
Coordenação: Gilead Marchezi Tavares.
Equipe: 02 alunos da Graduação e 01 mestrando do PPGPSI.
Órgão financiador: MEC-Capes (Bolsas PET) e Capes (Bolsa de Mestrado).

10) Penas alternativas engendradas nas relações de poder: um encontro com a Psicologia – Pesquisa
A investigação objetivou analisar as penas alternativas nas engrenagens das relações de poder, a partir do método genealógico, em consonância com o pensamento de Michel Foucault, chamando o saber/fazer da Psicologia para contribuir com a discussão. Tendo em vista a situação do sistema prisional, as penas alternativas têm assumido papel de destaque no mecanismo do sistema punitivo Estatal. Todavia, em que pese apresentarem-se sob o discurso de uma negativa à prisão, tais práticas penais surgem como seu prolongamento e inauguram uma forma de punição ainda mais fina, precisa e minuciosa, investindo sobre o corpo do apenado um sofisticado controle de coerção que visa docilizar, punir mais e melhor. Nesse contexto, a Psicologia oferece a possibilidade de um espaço de acolhimento aos apenados, permitindo-se questionar certas práticas e desnaturalizar verdades, para estar diante de um sujeito considerado em sua potencialidade: aquele que é protagonista de sua história e que, portanto, elabora novos modos de vida. O projeto teve início em 2010 e finalizou-se em dezembro de 2012, vinculado ao NEPESP.
Palavras chaves: Prisão; Penas e medidas alternativas; Direitos Humanos; Pesquisa-Intervenção.
Coordenação: Gilead Marchezi Tavares.
Equipe: 01 aluna de Graduação e 02 mestrandas do PPGPSI.
Órgão financiador: Capes (Bolsas de Mestrado).

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910